domingo, 15 de julho de 2012

José Augusto 'Sergipano', um ilustre desconhecido

Quem assim como eu nasceu nos anos 80, talvez até tenha ouvido falar no cantor José Augusto "Sergipano", mas a maioria com certeza não. Primeiro porque Sergipe tem um sério problema de memória e valorização de seus artistas, e segundo o artista em questão faz parte da linha de cantores tachados como "cafonas" ou "bregas". E como bem explicou Paulo Cesar de Araujo no seu livro "Eu não sou cachorro não: Música popular cafona e a ditadura militar" , os artistas que faziam sucessos populares entre os anos 60 e 70, foram jogados no limbo do esquecimento, tachados de alienados e alienantes e sequer constam em obras que estudam a música produzida no Brasil na época. Além de jogar luz nos cantores "bregas" , Paulo Cesar conseguiu mostrar que não foi apenas Chico Buarque e Caetano que foram perseguidos e censurados, a ala cafona da música brasileira também teve suas letras e músicos sobre os olhares dos militares. E ao contrario do que se pensa, também  fizeram música de resistência.
Sobre o José Augusto "Velho" como também é conhecido, sei pouco. Apenas que nasceu na cidade de Aquidabã/Se e que em sua carreira  gravou em torno de 22 Lps e mais de 200 músicas, seu nome rodou o Brasil e até países como  Argentina, Chile, Uruguai e outros onde foram gravados seus discos em castelhano. Levando em consideração que estamos falando de uma época sem internet, muito menos mp3 e que para se gravar um disco era algo pra poucos,  é de fato um grande feito. Josè Agusto morreu em 1981 em acidente automobilistico.
Estive em Aquidabã em 2010 quando era estagiário da Fundação Aperipê para a gravação de um videoclipe que por motivos que não vem ao caso, acabou não sendo finalizado. O clipe continha músicas que foram sucesso na voz de José Augusto. Lá pude conhecer pessoas que viveciaram o seu  sucesso, familiares e amigos. Na época cogitamos fazer um Especial Aperipê sobre ele, mas a ideia não foi a frente. Sinto que há uma certa injustiça com o José Agusto 'sergipano'.  Em 2011 fez 30 anos de sua morte e não recordo, nenhuma homenagem, nenhuma nota de jornal. Nada. Tudo isso por que ele era um cantor romantico 'brega' ? Ou seria por profundo desconhecimento, preguiça em pesquisar sobre a história da música sergipana?  Confesso que tenho uma grande curiosidade em sua historia  como na de outros artistas sergipanos que por motivos váriados estão esquecidos para a grande maioria, mas que estão vivos em alguma casa,  num velho toca disco, em fotagrafias amarelas e na memória dos populares.



6 comentários:

  1. José Augusto fêz sucesso além de Sergipe;
    "Sombras", regravada por Agnaldo Timóteo, foi
    sucesso nacional! Não sou sergipana mas conheço e tenho os grandes sucessos de José Augusto, como a
    belíssima "Guarânia da noite triste".

    ResponderExcluir
  2. RAFA, HOJE, NÃO SEI PORQUE ESTAVA PROCURANDO ALGUMA COISA NO GOOGLE, QUANDO DEPAREI-ME COM A MONTAGEM DE UM ESPETÁCULO SOBRE VICENTE CELESTINO. ACHEI MUITO INTERESSNTE, DE REPENTE ME VÊM A CABEÇA ESTE GRANDE CANTOR SERGIPANO, VÍTIMA DO ESQUECIMENTO. NÓS VALORIZAMOS E CTAMOSTANTOS ARTISTAS QUE VÊM DE OUTRAS LOCALIDDES E PORQUE NÃO EXALTARMOS O NOSSO SERGIPE? SAÍ ETÃO NO GOOGLE A PROCURA DE HISTÓRIAS DE JOSÉ ALGUSTO, DEPAREI-ME COM O SEU BLOG. ME AJUDE NESSA LOUCURA: VAMOS PESQUISAR PARA TEATRALIUZAR, ATRAVPÉS DE UM MUSICAL A HISTÓRIA DO CANTOR JOSÉ AUGUSTO??? SOU GUIL COSTA, ATOR SERGIPANO. MEUS CONTATOS: guil.costa@hotmail.com Fones: 8156 5262 / 9809 5283

    ResponderExcluir
  3. Tenho 31 anos e descobri as músicas de José Augusto através da Rádio Aperipê AM. Que grande descoberta! Muito me orgulho em saber que um conterrâneo meu cantava com a alma e com certeza fez a felicidade de milhares de ouvintes. Sim, porque música é um alimento para o espírito. Pena que nasci somente no ano em que ele morreu, queria ter vivenciado essa época. Ah, ouço bastante as músicas de José Augusto, e destaco, além de Sombras, as músicas "Velhas Cartas de Amor" e "Angústia da Solidão".

    ResponderExcluir
  4. Meu nome é Antonio Carlos. Faço parte de um projeto ainda em andamento, uma banda de músicas românticas/bregas, idealizada por mim e administrada por um primo de José Augusto Sergipano, o Anderson. Estamos ensaiando músicas como Beijo Gelado, Sombras, Perdoa-me, Abraça-me, e outras. Devemos ter um pouco mais de respeito a um homem que lutou e venceu na vida. Conseguir gravar um LP é algo honroso, ainda mais na Chantercler. Não é pra qualquer um, não. Ele esteve nos topos das paradas de sucesso, ao lado de seus conteporâneos Altemar Dutra e Waldik Soriano, colega de gravadora por muitos anos.

    ResponderExcluir
  5. Massa isso, sou sergipana, escutava José Augusto graças ao meu pai, é decepcionante q os próprios sergipanos, em sua maioria, desconhecem ele e seu trabalho

    ResponderExcluir